Por que aparece a psoríase: principais causas e fatores de risco

A psoríase é uma doença inflamatória crónica da pele, cujas causas podem ser diversas. Este artigo discute os principais fatores que contribuem para a psoríase, incluindo predisposição genética, distúrbios imunológicos, estresse, infecções e outros fatores externos e internos.

A psoríase é uma doença cutânea crônica não infecciosa caracterizada pelo aparecimento de manchas vermelhas, secas e escamosas na pele. Esta doença não tem uma etiologia claramente definida, mas existem várias causas principais que podem causar a sua manifestação.

Uma das principais causas da psoríase é considerada a predisposição genética. Isso significa que se um dos pais tiver psoríase, as chances de a doença aparecer na criança aumentam. Porém, deve-se ressaltar que nem todo herdeiro com predisposição genética terá necessariamente psoríase, uma vez que o próprio aparecimento da doença depende de muitos fatores.

Um desses fatores são os distúrbios do sistema imunológico. O sistema imunológico desempenha um papel importante na proteção do corpo contra diversas infecções e processos inflamatórios. No entanto, na presença de psoríase, o sistema imunológico não consegue reconhecer adequadamente as suas células e começa a atacá-las. Isto resulta na ativação de células imunológicas, o que leva à inflamação e à formação de placas psoriáticas na pele.

Predisposição genética

Estudos mostram que se um dos pais tiver psoríase, o risco de uma criança desenvolver a doença é de cerca de 10-25%. Se ambos os pais sofrerem de psoríase, o risco aumenta para 50%. No entanto, deve-se notar que nem todas as pessoas com predisposição genética para a psoríase contraem necessariamente a doença. Isso ocorre porque o desenvolvimento da psoríase também depende do impacto de diversos fatores externos, como estresse, infecções, traumas de pele, etc.

Vídeo sobre o tema:

Distúrbios autoimunes

Distúrbios autoimunes

No caso da psoríase, os processos inflamatórios ocorrem devido ao reconhecimento incorreto das células da pele como infectadas ou danificadas. Isto leva à ativação de células imunológicas e à produção de citocinas inflamatórias que causam rápido crescimento excessivo de células da pele e sintomas característicos da psoríase.

Existem muitos fatores que podem contribuir para o desenvolvimento de distúrbios autoimunes, incluindo predisposição genética, exposições ambientais, doenças infecciosas e estresse. Embora as causas exatas dos distúrbios autoimunes não sejam totalmente compreendidas, sab e-se que elas são frequentemente associadas a anormalidades no sistema regulatório imunológico.

É importante observar que a psoríase é uma doença multifatorial, e a presença de distúrbios autoimunes não é a única causa de seu desenvolvimento. No entanto, entender o papel dos processos autoimunes na patogênese da psoríase ajudará a desenvolver métodos mais eficazes de tratamento e prevenção desta doença.

Tensões e fatores psicoemocionais

O estresse é um dos principais gatilhos da psoríase. Quando o corpo é estressado, pode causar a pior dos sintomas da psoríase ou causar uma nova exacerbação da doença. O estresse afeta o sistema imunológico, aumentando a inflamação no corpo e promovendo o desenvolvimento de placas psoriáticas.

  • A tensão e o estresse emocionais podem causar uma incompatibilidade no sistema nervoso, o que pode levar a mudanças na resposta do sistema imunológico a estímulos externos.
  • Além disso, o estresse pode reduzir a eficácia do tratamento com psoríase e tornar mais difícil controlar.

Além do estresse, outros fatores psicoemocionais, como depressão, ansiedade, baixa auto-estima, isolamento social e falta de apoio de outros, também podem ter um impacto negativo na psoríase e suas manifestações. Depressão e ansiedade são acompanhadas por mudanças na neuroquímica do cérebro, o que pode aumentar a inflamação e piorar as condições da pele.

É importante perceber que a psoríase é uma doença multifatorial, e os fatores de estresse e psicoemocional podem ser apenas uma das causas de sua manifestação. No entanto, dado o impacto do estresse na doença, recomenda-se que você preste atenção ao seu estado mental e toma medidas para reduzir o estresse e manter o bem-estar emocional.

Q & amp; A:

O que é psoríase e como isso se manifesta?

A psoríase é uma condição de pele crônica e não infecciosa que se manifesta como vermelhidão, descamação e secura na pele. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas geralmente afeta as articulações, cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas.

Quais fatores podem desencadear a psoríase?

O aparecimento da psoríase pode ser causado por vários fatores, incluindo predisposição genética, distúrbios imunológicos, estresse, infecções, traumas de pele, certos medicamentos e até mesmo condições climáticas.

A psoríase pode ser herdada dos pais?

Sim, a predisposição genética é uma das causas da psoríase. Se um dos pais tiver psoríase, o risco de uma criança desenvolver a doença aumenta. No entanto, a predisposição genética nem sempre significa que ocorrerá psoríase.

A psoríase pode aparecer devido ao estresse?

Sim, o estresse é um dos fatores que contribuem para o aparecimento da psoríase. Muitos pacientes experimentam uma exacerbação da psoríase após vivenciar um evento estressante. O estresse pode afetar o sistema imunológico e causar inflamação, causando erupções cutâneas psoriásicas.

Infecções e vírus

Uma das causas da psoríase pode ser infecções e vírus. Doenças infecciosas como gripe, dor de garganta, doenças respiratórias superiores e outras podem causar o agravamento da psoríase em pessoas propensas à doença.

A infecção pode ser desencadeada por vírus e bactérias. Vírus como o HPV (papilomavírus humano), herpes ou varicela podem causar inflamação da pele e contribuir para o desenvolvimento da psoríase. Infecções bacterianas, como a infecção estreptocócica, também podem estar associadas à manifestação da psoríase.

Distúrbios metabólicos

O metabolismo é um processo complexo no qual o corpo obtém nutrientes essenciais e remove resíduos metabólicos. Os distúrbios metabólicos podem levar a uma variedade de doenças, incluindo a psoríase.

Uma das principais causas dos distúrbios metabólicos é a predisposição genética. Em algumas pessoas, os genes responsáveis pelo metabolismo podem ser alterados, causando distúrbios nos órgãos e sistemas do corpo, incluindo a pele.

Além disso, distúrbios metabólicos podem ser causados por hábitos de vida inadequados, incluindo dieta inadequada, falta de exercício, falta de sono e estresse. Esses fatores podem levar a distúrbios metabólicos e afetar negativamente a pele.

Alérgenos alimentares

Muitas vezes, os alérgenos alimentares que causam a manifestação da psoríase podem ser individualizados e variar de pessoa para pessoa. No entanto, certos alimentos têm maior probabilidade de causar reações alérgicas em pacientes com psoríase. Esses alimentos incluem:

  • O glúten é uma proteína encontrada em trigo, cevada e centeio. Em algumas pessoas com psoríase, o glúten pode causar inflamação no intestino e piorar os sintomas da psoríase.
  • Produtos lácteos – Muitos que sofrem de psoríase relatam piorar as condições da pele após consumir leite e produtos lácteos. Esse efeito pode ser devido a uma alergia à caseína, uma proteína encontrada em produtos lácteos.
  • O chocolate é um produto rico em açúcar, gordura e xantina, que pode causar uma reação alérgica em algumas pessoas com psoríase.

Se você suspeitar de uma alergia alimentar causando a manifestação da psoríase, recomend a-se que você veja um alergista ou dermatologista para realizar testes de alergia e identificar alérgenos específicos. A eliminação desses alimentos da dieta pode ajudar a melhorar a saúde da pele e reduzir a aparência dos sintomas da psoríase.

Tomando certos medicamentos

Esses medicamentos podem incluir:

  • Medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) como aspirina, ibuprofeno e diclofenac;
  • Medicamentos usados para tratar a pressão alta (hipertensão), como betabloqueadores;
  • Antibióticos usados para combater infecções;
  • Drogas usadas para tratar doenças mentais, como antidepressivos e antipsicóticos;
  • Drogas usadas no tratamento da artrite reumatóide e outras doenças imunes;
  • Drogas usadas para tratar a dor e a inflamação das articulações, como glicocorticosteróides.

Se houver suspeita de um vínculo entre tomar certos medicamentos e a aparência ou piora dos sintomas da psoríase, um médico deve ser consultado. O médico pode considerar alterar a dose, alterar a medicação ou adicionar outros medicamentos para gerenciar a psoríase.

Trauma e lesões traumáticas

Trauma e lesões traumáticas podem ser uma das causas da manifestação da psoríase. O trauma na pele pode causar inflamação e ativação do sistema imunológico, o que pode levar a erupções cutâneas psoriáticas.

Lesões que podem desencadear o desenvolvimento da psoríase incluem:

  • Hematomas e inchaços que causam danos à pele;
  • Burns, incluindo queimaduras solares;
  • Incisões e cortes;
  • Pressão prolongada ou atrito em uma área específica da pele, como usar roupas ou sapatos apertados.

As lesões podem ser físicas e emocionais. Estresses emocionais, como emoções fortes, traumas mentais ou tensão psicológica prolongada, também podem iniciar a manifestação da psoríase.

Se você tem psoríase, é importante evitar traumas e lesões traumáticas na pele para prevenir exacerbações da doença. Recomenda-se usar roupas confortáveis, evitar exposição prolongada ao sol sem proteção, ter cuidado ao realizar atividades domésticas ou esportivas, controlar o estado emocional e se esforçar para reduzir o estresse.

Tabagismo e abuso de álcool

Fumar e abuso de álcool

A exposição constante a substâncias tóxicas presentes na fumaça do cigarro pode causar inflamação e danos à pele, o que contribui para novos surtos de psoríase e agrava os já existentes. Além disso, a nicotina e outras substâncias presentes na fumaça do tabaco podem interferir nos processos regulatórios do sistema imunológico, levando a desequilíbrios no corpo e ao agravamento das condições da pele.

Da mesma forma, o abuso de álcool também pode ter um efeito negativo na pele e na condição geral do corpo. O álcool causa desidratação (desidratação) do corpo, o que pode causar pele seca e rachada, o que é especialmente perigoso para pessoas com psoríase. Além disso, o álcool pode enfraquecer o sistema imunológico, reduzindo a sua funcionalidade e capacidade de combater a inflamação, o que pode piorar os sintomas da psoríase.

É importante ressaltar que o tabagismo e o abuso de álcool não só têm impacto direto na manifestação e exacerbação da psoríase, mas também reduzem a eficácia do tratamento e podem levar ao desenvolvimento de complicações. Portanto, para obter os melhores resultados no combate à psoríase, é recomendável abandonar esses maus hábitos ou, pelo menos, limitar significativamente o seu uso.

Fatores Ambientais

Fatores ambientais podem desempenhar um papel importante no desenvolvimento e manifestação da psoríase. O ambiente, incluindo o clima, a poluição do ar, a água e o solo, pode ter um impacto negativo na pele e no sistema imunitário do corpo.

Um dos principais fatores ambientais associados ao desenvolvimento da psoríase é o clima. As pessoas que vivem em regiões com climas frios e rigorosos sofrem frequentemente de exacerbações da doença. Baixas temperaturas, ar seco e falta de luz solar podem afetar negativamente a pele e causar erupções cutâneas psoriásicas.

  • A poluição do ar também pode ter um impacto negativo na pele. Substâncias tóxicas no ar podem penetrar no corpo e causar inflamação da pele, o que contribui para o desenvolvimento da psoríase.
  • O contato com água contaminado e solo também pode fazer com que a psoríase piore. Os produtos químicos na água e no solo podem irritar a pele e ativar os processos de inflamação.

Dieta inadequada e deficiência de vitaminas

As deficiências de vitamina e nutrientes também podem estar associadas à manifestação da psoríase. Deficiências em vitaminas D, E, A e C, bem como zinco e selênio, podem enfraquecer o sistema imunológico e afetar a saúde da pele. A vitamina D é especialmente importante para manter a pele saudável; portanto, uma deficiência pode ser um fator que contribui no desenvolvimento da psoríase.

  • Alimentos gordurosos, fritos e picantes podem contribuir para o desenvolvimento da psoríase.
  • Consumir grandes quantidades de açúcar e alimentos ricos em glúten também pode ter um impacto negativo na saúde da pele.
  • O consumo de álcool e o tabagismo pioram os sintomas da psoríase.

Para manter a pele saudável e prevenir a psoríase, é recomendável comer alimentos ricos em vitaminas e minerais. É importante incluir em seus alimentos dietéticos contendo vitaminas D, E, A e C, bem como zinco e selênio. Estes podem ser peixes, ovos, nozes, verduras, frutas e vegetais. O consumo de chá verde também é recomendado, que contém antioxidantes e pode ajudar a combater a inflamação da pele.

Exposição ao sol e raios ultravioleta

No entanto, a exposição ao sol também pode causar exacerbação da psoríase em algumas pessoas. Isso pode ocorrer devido ao superaquecimento da pele, dano ao DNA das células da pele ou alterações na resposta imune. Portanto, é importante considerar as características individuais de cada paciente e consultar seu médico sobre a exposição apropriada à luz solar.

Se a exposição ao sol for usada como terapia, é recomendável começar com uma dose baixa e aumentar gradualmente o tempo ao sol para evitar queimaduras e outros efeitos colaterais negativos. Além disso, o filtro solar com um alto nível de proteção UV deve ser usado e roupas de proteção devem ser usadas.

Também existem lâmpadas ultravioletas especiais que podem ser usadas para tratar a psoríase sob a supervisão de um médico. Essas lâmpadas emitem raios ultravioleta que podem ajudar a reduzir a inflamação e diminuir o crescimento de placas psoriáticas.