Candidíase vaginal: causas, sintomas e tratamento de candidíase

Tavor ou candidíase vaginal é uma doença fúngica comum causada por Candida albicans. Aprenda sobre as causas, sintomas e tratamentos para candidato. Obtenha dicas sobre como prevenir e manter a saúde vaginal.

Torda, ou candidíase vaginal, é uma condição ginecológica comum causada por um fungo do gênero Candida. Esse microorganismo está normalmente presente na vagina nas mulheres, mas quando a microflora é perturbada, pode se multiplicar e causar uma variedade de sintomas. O mofo pode ocorrer em mulheres em qualquer idade, mas é mais comum em mulheres em seus anos reprodutivos.

O principal sintoma de candidato é a coceira e a queima na vagina, bem como a presença de descarga bruta branca e coagulada que parece queijo cottage. No entanto, em algumas mulheres, o candidato pode ocorrer sem sintomas pronunciados, o que dificulta o diagnóstico e o tratamento da doença.

As estatísticas mostram que cerca de 75% das mulheres pelo menos uma vez em suas vidas enfrentam candidato. As razões para o desenvolvimento desta doença podem ser uma diminuição na imunidade, tomando antibióticos, alterações hormonais causadas por mudanças sexuais, gravidez ou menopausa, bem como alguns maus hábitos, como tabagismo e consumo de álcool.

O diagnóstico de candidato é geralmente feito pelo exame microscópico de um esfregaço e cultura vaginal para fungos. O tratamento de candidato inclui o uso de medicamentos antifúngicos, internos e externos. É importante lembrar que, se os sintomas de candidíase forem detectados, é necessário consultar um médico para obter ajuda profissional e prescrição de tratamento apropriado.

O que é candidato e candidíase vaginal?

Torda, também conhecida como candidíase vaginal, é uma condição vaginal comum causada pelo fungo candida. Esse fungo geralmente está presente na pele, boca, estômago e vagina, mas geralmente não causa doenças. No entanto, sob certas condições, o fungo começa a se multiplicar ativamente e leva aos sintomas de candidíase.

O principal sintoma de candidato é coçar e queimar na vagina. Além disso, as mulheres podem sentir desconforto ao urinar sensações dolorosas durante a relação sexual e a descarga que podem estar brancas e coaguadas, semelhante ao queijo cottage. No entanto, os sintomas do candidato variam de mulher para mulher e podem ser mais ou menos pronunciados.

Sintomas de candidíase em mulheres

Os principais sintomas do candidato são:

  • Descarga vaginal: Um dos principais sinais de candidato é uma descarga espessa, branca ou coagulada, semelhante a uma coalhada que pode ter um odor desagradável.
  • Com coceira e queima na área vaginal: a infecção fúngica causa irritação e coceira ao redor da vagina e genitália externa. A queima pode ser particularmente intensa durante a micção ou relação sexual.
  • Filas urinárias: mulheres com estrondos às vezes experimentam micção dolorosa devido à irritação das membranas mucosas.
  • Inchaço e vermelhidão dos lábios vaginais: a infecção pode causar inchaço, vermelhidão e irritação dos lábios vaginais.

Além disso, em algumas mulheres, o candidato pode causar desconforto e dor durante a relação sexual, bem como desconforto ao inserir um tampão. Em alguns casos, também pode ocorrer dor abdominal mais baixa.

Como o sapinho é transmitido?

As principais formas de transmissão de canhões:

  • Contato sexual: O fungo Candida pode ser transmitido durante a relação sexual, especialmente na ausência de um preservativo ou no uso de contraceptivos contendo espermicidas.
  • Infecção interna: o fungo Candida pode se espalhar de outras partes infectadas do corpo, como a boca ou o intestino, para a vagina. Isso pode ocorrer com falta de higiene ou condições que enfraquecem o sistema imunológico.
  • Transmissão de mãe para filho: Durante o parto, o fungo Candida pode ser passado de uma mãe infectada para o bebê. Isso pode levar ao desenvolvimento de candidato no recé m-nascido.

É importante lembrar que o candidato não é uma doença sexualmente transmissível no sentido estrito. O fungo Candida pode estar presente no corpo da maioria das pessoas, mas o desenvolvimento do candidato ocorre apenas se o equilíbrio da microflora na vagina for perturbado ou o sistema imunológico for enfraquecido. Portanto, é importante manter um estilo de vida saudável e práticas individuais de higiene para impedir a transmissão de candidíase.

Fatores de risco para o desenvolvimento de caidrato

Fatores de risco para o desenvolvimento de caidrato

  • Imunidade diminuída. Um sistema imunológico enfraquecido pode ser o resultado do estresse, falta de sono, dieta pobre ou tomado certos medicamentos, como antibióticos ou hormônios.
  • Disbiose intestinal. Um desequilíbrio de microorganismos no intestino pode contribuir para o desenvolvimento de candidíase.
  • Diabetes. Os níveis elevados de açúcar no sangue criam condições favoráveis para a reprodução do fungo candida albicans.

Existem também outros fatores de risco que podem contribuir para o desenvolvimento de sapinhos:

  • Gravidez. Alterações no fundo hormonal durante a gravidez podem levar ao desenvolvimento de candidíase.
  • Suor excessivo. A transpiração excessiva pode criar um ambiente úmido que favorece o crescimento do fungo candida albicans.
  • Vestindo roupas íntimas sintéticas. A roupa íntima sintética não permite que a pele “respire” e cria condições favoráveis para o desenvolvimento de candidíase.
  • Uso frequente de almofadas ou tampões. O uso prolongado de almofadas ou tampões pode atrapalhar o equilíbrio natural na vagina e promover a multiplicação do fungo candida albicans.

É importante perceber que a presença de um ou mais fatores de risco não garante o desenvolvimento de sapinhos. No entanto, se esses fatores estiverem presentes, é recomendável que você tome precauções e monitore sua saúde.

Diagnóstico de candidíase

O diagnóstico de candidato inclui vários métodos que ajudam a determinar a presença da doença e identificar sua causa. Abaixo estão os principais métodos de diagnóstico de candidíase:

  1. História e sintomas: o médico fala com o paciente para obter um histórico médico – informações sobre doenças anteriores e fatores de risco que podem contribuir para o desenvolvimento de candidíase. O médico também examina a vagina e avalia a presença de sintomas característicos: coceira, queimação, descarga vaginal, bem como alterações externas.
  2. Testes de laboratório: Um teste de laboratório da descarga vaginal pode ser realizado para confirmar um diagnóstico de candidíase. O médico pega um swab da mucosa vaginal e a envia para análise. Os testes de laboratório ajudam a detectar a presença de infecção fúngica e determinar seu tipo.
  3. Estudo da cultura: o estudo da cultura é realizado para identificar o agente causador específico do candidato. Para fazer isso, um cotonete vaginal é semeado na mídia especial e, em seguida, as colônias fúngicas resultantes são estudadas.
  4. Diagnóstico diferencial: O médico pode realizar um diagnóstico diferencial para excluir outras doenças com sintomas semelhantes, por exemplo, vaginose bacteriana ou tricomoníase.

Com base nos resultados dos testes e análise dos sintomas, o médico diagnostica e prescreve o tratamento adequado.

Tratamento de candidíase

Geralmente, o tratamento de candidato inclui as seguintes medidas:

  1. O uso de medicamentos antimicrobianos. Na maioria das vezes prescritas pomadas antifúngicas, cremes ou supositórios para uso vaginal. Eles contêm substâncias ativas como clotrimazol, fluconazol, miconazol, que efetivamente destroem os fungos e aliviam os sintomas da doença.
  2. Tomar medicamentos antifúngicos sistêmicos pode ser prescrito em casos graves ou candidíase recorrente. Drogas como o fluconazol são tomadas por via oral, conforme prescrito por um médico.
  3. Observância de regras higiênicas. Durante o tratamento de candidíase, é importante observar as regras da higiene para impedir a propagação de fungos e as recaídas da doença. Recomend a-se usar produtos de higiene hipoalergênica, não use papel higiênico com aromas e evite roupas íntimas muito apertadas e sintéticas.
  4. Tratamento de parceiros. Se um parceiro mostrar sinais de candidíase, o tratamento articular será recomendado. Isso geralmente envolve a aplicação de pomadas ou cremes antifúngicos aos órgãos genitais.

Ao tratar candidato, é importante consultar um médico que escolherá o melhor curso de tratamento e oferecer recomendações sobre a prevenção de recorrências. O consumo de álcool e certos alimentos, como muito doce, pode contribuir para o desenvolvimento de sapinhos, por isso é recomendável limit á-los ou exclu í-los da dieta.

Prevenção de tortão

Para evitar candidíase, é recomendável seguir uma série de medidas que ajudarão a impedir o desenvolvimento e a propagação da infecção fúngica:

1. Mantenha a higiene genital:

  • Lave a vagina diariamente com água morna sem sabão;
  • Evite usar detergentes e desodorantes agressivos na área íntima;
  • Depois de visitar locais públicos, piscinas ou saunas, é recomendável limpar completamente a vagina;
  • Não use roupas íntimas apertadas e sintéticas, prefira tecidos naturais;
  • Depois de urinar, é ideal usar toalhas de papel para evitar o crescimento fúngico em condições de alta umidade.

2. Nutrição adequada e construção de imunidade:

  • Fortalecer seu sistema imunológico com uma dieta saudável rica em vitaminas e minerais;
  • Evite o consumo excessivo de alimentos doces e ricos em amido, o que pode promover a infecção fúngica;
  • Incentive o crescimento da microflora benéfica, incluindo iogurte probiótico em sua dieta
  • Evite alimentos que contêm leveduras, como cerveja e pão de farinha branca. 3.

3. Evite ácidos graxos:

  • Evite o uso excessivo de sabonetes, desodorantes e outros produtos de higiene química que podem perturbar o equilíbrio da microflora vaginal;
  • Tente evitar o estresse grave, o que pode enfraquecer o sistema imunológico e provocar o desenvolvimento de candidíase;
  • Evite atividade física excessiva, que pode causar maior sudorese e hidratação vaginal.

4- Evite relações sexuais desprotegidas:

  • usar preservativos para proteger contra infecções sexuais;
  • Evite mudar os parceiros sexuais com frequência, pois isso pode aumentar o risco de obter sapinhos.

Consequências de candidíase não tratado

Consequências de candidíase não tratado

Tapavão não tratado pode levar a sérias conseqüências para a saúde de uma mulher. Esta doença é causada pelo fungo candida albicans, que normalmente vive na vagina de toda mulher, mas quando a microflora é perturbada, começa a se multiplicar e causar inflamação.

Aqui estão algumas das possíveis consequências do candidato não tratado:

  • Recorrências crônicas. Se o candidato não for tratado completamente, pode se tornar crônico e ocorrer regularmente. Isso ocorre porque o fungo pode ser resistente a certos medicamentos e, sem tratamento adequado, continua a multiplicar e causar sintomas.
  • Disseminação da infecção. O sapinho pode se espalhar para outras áreas do corpo, como a pele, pregos, boca e intestinos. Isso pode causar problemas adicionais e pode exigir um tratamento mais complicado e longo.
  • Sistema imunológico enfraquecido. O combate constantemente de candidato pode enfraquecer o sistema imunológico do corpo. Isso torna uma mulher mais suscetível a outras infecções e doenças como cistite, pielonefrite e outros processos inflamatórios no sistema urinário.
  • Problemas durante a gravidez e parto. Tapavão não tratado pode causar complicações durante a gravidez, como trabalho prematuro ou infecção do recé m-nascido. O fungo pode ser passado de mãe para bebê durante o processo de nascimento e causar candidíase vaginal no bebê.

Evite essas consequências desagradáveis, buscando ajuda em tempo hábil de um médico e seguindo suas recomendações para o tratamento de candidíase.

O que é candidíase vaginal?

A candidíase vaginal é transmitida através do contato com um parceiro infectado durante a relação sexual. Pode ocorrer com o uso de anticoncepcionais, antibióticos, medicamentos hormonais, bem como com falta de higiene ou distúrbios imunológicos. Freqüentemente, a candidíase vaginal ocorre em mulheres grávidas, em pacientes com diabetes mellitus ou imunidade reduzida.

Os sintomas da candidíase vaginal podem incluir coceira e queimação na vagina, corrimento branco espesso e dor durante a micção ou relação sexual. Em alguns casos, a candidíase pode ocorrer sem sintomas.

O diagnóstico da candidíase vaginal geralmente envolve a coleta da anamnese da paciente, inspeção visual e exame microscópico das secreções. Caso o diagnóstico seja confirmado, é prescrito tratamento, que pode incluir o uso de antimicóticos na forma de cremes, supositórios ou medicamentos orais.

Sintomas de candidíase vaginal em mulheres

Os principais sintomas da candidíase vaginal em mulheres incluem:

  • Comichão e ardor dentro e ao redor da vagina: um dos sintomas mais comuns da candidíase é uma coceira intolerável e uma sensação de queimação na área vaginal. Estas sensações podem ser especialmente intensas à noite ou após a relação sexual.
  • Corrimento: Mulheres com candidíase vaginal podem notar corrimento vaginal excessivo. Essa secreção geralmente é branca, coagulada e tem um odor característico.
  • Vermelhidão e inchaço vaginal: a candidíase vaginal pode causar vermelhidão e inchaço ao redor da vagina. A pele pode ficar irritada e sensível.
  • Dor ao urinar ou ter relações sexuais: Algumas mulheres podem sentir desconforto e dor ao urinar ou ter relações sexuais devido à inflamação e irritação da vagina.

Esses sintomas podem ocorrer de diferentes maneiras nas mulheres e podem variar em intensidade. É importante consultar um médico para obter diagnóstico e tratamento adequados para candidíase.

Diagnóstico e tratamento da candidíase vaginal

Para diagnosticar a candidíase vaginal, o médico geralmente realiza um exame e coleta um histórico médico. As queixas da paciente e o exame vaginal sugerem a presença de candidíase. Exames laboratoriais podem ser necessários para confirmar o diagnóstico.

Um dos métodos de diagnóstico é o exame microscópico do esfregaço vaginal. O médico pega uma pequena quantidade de secreções e as examina ao microscópio. Se houver células fúngicas características da candidíase, o diagnóstico é confirmado.

O tratamento da candidíase vaginal envolve o uso de medicamentos antimicóticos que destroem a infecção fúngica. Os medicamentos podem ser usados na forma de supositórios vaginais, cremes, comprimidos ou soluções de enxaguar. A duração do tratamento e o método de aplicação de medicamentos são determinados por um médico, dependendo da gravidade da doença.

Além disso, é importante observar a higiene genital, evitar roupas íntimas apertadas e roupas íntimas sintéticas, bem como recusar produtos que promovem o crescimento fúngico. É importante consultar um médico nos primeiros sintomas para iniciar o tratamento a tempo e evitar complicações.

Lista de recomendações para pacientes com candidíase vaginal: recomendações

Observe a higiene dos órgãos genitais.
Evite roupas íntimas apertadas e roupas íntimas sintéticas.
Evite alimentos que promovam o crescimento fúngico (doces, massa de fermento, álcool, etc.).
Visite seu médico e receba tratamento nos primeiros sintomas.
Tome medicamentos antimicóticos, conforme prescrito pelo seu médico.

Q & amp; A:

O que é candidato e como ele pode ser identificado?

Molusco contagioso (candidíase vaginal) é uma doença infecciosa causada pelo fungo candida. Você pode determinar a presença de candidato pelos seguintes sintomas: coceira e queima na vagina, descarga solta abundante com glóbulos, inchaço e vermelhidão das paredes vaginais.

Como você pode ser infectado com sapinhos?

A caçata é mais frequentemente transmitida sexualmente, através do contato com um parceiro infectado. No entanto, também é possível se auto-infectar quando a microflora da vagina é perturbada, por exemplo, com uso prolongado de antibióticos ou medicamentos hormonais.

Como o sapinho é tratado?

O tratamento de sapinhos é realizado com a ajuda de medicamentos antifúngicos, ações locais e sistêmicas. Dependendo da gravidade e do curso da doença, o médico pode prescrever cremes, supositórios ou comprimidos. Também é importante observar a higiene genital e evitar o contato com um parceiro infectado durante o tratamento.

A candidata pode ser evitada?

Para evitar sapinhos, é recomendável observar as seguintes medidas: Evite relações sexuais casuais, use preservativos, siga a higiene genital, evite o uso prolongado de antibióticos sem receita médica, use roupas íntimas naturais, evite roupas apertadas e sintéticas.

Que complicações podem ocorrer com sapinho?

Em caso de tratamento incorreto ou prematuro de candidíase, podem ocorrer as seguintes complicações: candidíase recorrente crônica, doenças inflamatórias do sistema geniturinário, infertilidade, nascimento prematuro, transmissão da infecção para o recé m-nascido durante a passagem pelo canal de nascimento