A tricurose (tricocefalose) é uma doença de acordo com a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde, 10ª Revisão (CID-10) sob o código B79

A tricorose (tricocefalose) é uma doença do aparelho digestivo causada pela presença no intestino de vermes parasitas da classe dos tricostomos. Sintomas, diagnóstico e tratamento da tricurose. B79 μb-10.

A tricorose, ou tricocefalose, é uma doença causada por vermes parasitas da família das triquinelas. Eles vivem no intestino grosso de humanos e animais, alimentando-se de seu sangue. Nos humanos, as duas espécies de triquinela mais comuns são T. Spiralis e T. nativa.

Uma vez no corpo, os vermes penetram na membrana mucosa do intestino grosso, onde começam a se reproduzir. Eles produzem ovos, que são excretados nas fezes e podem infectar outras pessoas ou animais. Se os ovos entrarem no intestino humano, eles se transformam em larvas, que penetram no sangue e se espalham por todo o corpo, causando diversos sintomas e complicações.

A tricurose pode variar desde uma forma leve, sem sintomas, até uma forma grave, com complicações como obstrução intestinal, apendicite ou peritonite.

Testes laboratoriais são usados para diagnosticar a tricurose, incluindo análise fecal para ovos de triquinela e testes imunológicos. O tratamento é realizado com medicamentos antiparasitários como mebendazol ou albendazol. Além disso, é recomendável seguir uma dieta especial que exclua alimentos que promovam a reprodução e disseminação de triquinelas no organismo.

Definição e causas de ocorrência

Trichurida é um nematóide (lombriga) que vive no intestino delgado de uma pessoa. Possui formato característico de chicote e pode atingir até 5 cm de comprimento. O parasita usa suas pernas afiadas para se fixar nas paredes do intestino delgado e se alimenta de sangue humano e secreções digestivas.

A principal causa da tricurídeo é o contato com uma pessoa infectada ou o consumo de alimentos ou água contaminados com ovos de tricurídeos. Os ovos de trichurídeos podem entrar no solo através das fezes de indivíduos infectados e permanecer no solo por semanas ou meses. Eles então se tornam infecciosos e podem ser ingeridos por humanos através do consumo de alimentos ou água contaminados.

As pessoas que vivem em condições higiênicas desfavoráveis, como falta de banheiros, condições insalubres e falta de higiene, estão particularmente em risco de contrair a tricurose. Além disso, o risco de infecção é aumentado em crianças, especialmente aquelas que brincam em lugares sujos e não praticam uma boa higiene pessoal.

Sintomas e imagem clínica

Os principais sintomas e a imagem clínica da tricurose são:

  • Dor abdominal – aparece devido à irritação da mucosa intestinal por parasitas. Na maioria das vezes, a dor é observada na região ilíaca, na metade esquerda do abdômen.
  • Diarréia – Pode haver a presença de fezes líquidas, aumento da frequência e abundância, bem como a presença de sangue nas fezes.
  • Anemia – ocorre devido à alimentação de parasitas com sangue humano, o que pode levar à deficiência de ferro e ao desenvolvimento da anemia.
  • Deterioração do apetite – os parasitas podem levar a distúrbios digestivos e deterioração do apetite.
  • Diarréia – observada devido à digestão e absorção prejudicada de alimentos no intestino.
  • Perda de peso – A tricurose crônica pode levar à perda de peso, à medida que o corpo gasta energia para combater os parasitas.

Além disso, sintomas como fadiga, dores de cabeça, aumento da irritabilidade, sonolência, sonolência, distúrbios do sono e outros podem ocorrer com a tricurose.

Diagnóstico e métodos de investigação

  • Anamnese. O médico entrevista o paciente a identificar os principais sintomas e a história da doença. É importante descobrir se houve casos de contato com pessoas ou animais infectados.
  • Exame clínico. O médico examina visualmente o paciente, avalia a condição da pele, membranas mucosas e outros sinais externos da doença.
  • Testes laboratoriais. Inclua análise fecal para a presença de ovos helmintos, estudos bioquímicos (hemograma geral, hemograma bioquímico, estudos imunológicos).

Ao realizar testes laboratoriais, é dada atenção especial à detecção de ovos de helmintos nas fezes do paciente. Para esse fim, o método de microscopia é usado, o que permite determinar o tipo de helminto e seu conteúdo quantitativo. Também é realizado um exame de sangue para avaliar a condição geral do corpo e detectar processos inflamatórios.

Tratamento e prevenção

Ao tratar a tricurose, também é recomendável observar as seguintes recomendações:

  • Observar um rigoroso regime de higiene pessoal;
  • Lave regularmente as mãos antes de comer e depois de visitar locais públicos;
  • Evite o contato com a sujeira, especialmente quando envolvido em jardinagem ou agricultura;
  • Alimentos de traição térmica, especialmente carne e peixe;
  • Monitorar a saúde dos animais, especialmente animais de estimação;
  • Tenha check-ups regulares com um médico e tratamento preventivo para a família;
  • Se a infecção for detectada em um membro da família, todos os outros membros da família devem ser examinados e tratados, se necessário.

Após o tratamento da tricurose, os exames de acompanhamento são recomendados em 2-3 semanas para monitorar a eficácia do tratamento e descartar a reinfecção.

Complicações e consequências

Complicações e consequências

Uma das complicações mais comuns da tricurose é a anemia. Isso é causado pelo fato de os parasitas se alimentarem de sangue, resultando em deficiência de ferro e diminuição dos níveis de hemoglobina. A anemia pode se manifestar por fraqueza, fadiga, pele pálida, dor de cabeça e outros sintomas.

A presença prolongada de um grande número de parasitas no corpo pode causar danos às paredes intestinais, o que pode levar ao sangramento e às úlceras. Isso pode causar dor abdominal, problemas digestivos e outros problemas.

Além disso, a tricurose pode causar um sistema imunológico reduzido, o que torna o corpo mais vulnerável a outras infecções e doenças. Isso pode levar ao desenvolvimento de infecções secundárias, como infecções respiratórias, infecções fúngicas e outras.

Em casos raros, se a tricurose não for tratada no tempo, pode causar peritonite – inflamação do peritônio, que é a vida útil para o paciente.

Portanto, é muito importante consultar um médico nos primeiros sinais de tricurose e receber tratamento adequado para impedir o desenvolvimento de complicações e consequências.

Recomendações profissionais

Para tratamento eficaz da tricurose (tricocefalose), recomend a-se seguir algumas diretrizes profissionais:

1. Realizando diagnóstico e tratamento:

  • Para confirmar o diagnóstico de tricurose, devem ser realizados testes laboratoriais, incluindo testes fecais para a presença de ovos de Trichinella.
  • Se os ovos de Trichinella forem encontrados nas fezes do paciente, o tratamento com ant i-helmínticos recomendados por profissionais médicos deve ser iniciado imediatamente.
  • Após o tratamento, os testes de laboratório devem ser repetidos para confirmar a cura completa.

2. Medidas preventivas:

  • Atenção especial deve ser dada à higiene de alimentos e água, especialmente ao visitar locais públicos e viajar.
  • Recomend a-se lavar bem frutas e vegetais antes do consumo.
  • É necessário sujeito a carne de carne, especialmente carne de porco e jogo, para tratamento térmico suficiente.
  • Antes de beber água, é recomendável cozinh á-la profilaticamente ou usar filtros que fornecem tratamento de parasitas.
  • É importante observar a higiene pessoal, lavar regularmente as mãos com água e sabão, especialmente depois de usar o banheiro e antes de preparar comida.

3- estilo de vida:

  • Recomend a-se evitar o contato com animais infectados, especialmente porcos e animais selvagens.
  • Ao visitar lugares contaminados ou potencialmente perigosos, é recomendável usar equipamentos de proteção individual, como luvas e máscaras.
  • As práticas de armazenamento e preparação de alimentos devem ser seguidas para evitar a possibilidade de infecção por tricurose.
  • Exames veterinários regulares e exames para animais de estimação devem ser realizados para identificar possíveis fontes de infecção.

Informações para pacientes

Aqui estão algumas informações que você deve saber sobre a tricurose:

  • Sintomas: os sintomas da tricurose podem incluir dores musculares e articulares, inchaço ao redor dos olhos, febre, náusea e vômito. Em alguns casos, uma forma grave da doença pode se desenvolver, que pode envolver complicações no coração, pulmões e sistema nervoso.
  • Diagnóstico: o diagnóstico de tricurose requer testes de laboratório, como exames de sangue ou exame da carne do paciente.
  • Tratamento: A tricurose é tratada com medicamentos antiparasitários, como mebendazol ou albendazol. É importante seguir o curso prescrito de tratamento e consultar um médico antes da auto-medicação.
  • Prevenção: Para prevenir a tricurose, é recomendável evitar comer carne mal cozida ou cru, especialmente carne de porco. Também é importante lavar as mãos cuidadosamente após o contato com animais, especialmente porcos.

Se você perceber sintomas que podem indicar tricuríase, consulte um médico para obter conselhos e diagnóstico profissional. A busca de atendimento médico cedo pode ajudar a impedir que as complicações se desenvolvam e forneçam tratamento mais eficaz.

Estatística e prevalência

A triculose é mais comum em países em desenvolvimento com baixos níveis de saneamento e higiene. Estes são principalmente países da África, Ásia e América Latina. No entanto, casos de infecção também são relatados em países desenvolvidos, especialmente entre pessoas com más condições de vida, baixos níveis de educação e acesso inadequado aos cuidados de saúde.

Vídeo sobre o assunto:

Q & amp; A:

O que é tricurose (tricocefalose) de acordo com a CID-10?

A tricurose (tricocefalose) é uma helmintíase causada por parasitas do gênero Trichurus, especialmente a Trichuria. É classificado sob a classificação estatística internacional de doenças e problemas de saúde relacionados, o Código B79 da Décima Revisão (CID-10).

Quais sintomas acompanham a tricurose?

Os sintomas de tricurose podem incluir dor de estômago, anemia, fraqueza, perda de peso, distúrbios de apetite, diarréia e coceira ao redor do ânus. Complicações graves, como obstrução intestinal ou peritonite, são possíveis.

Como a tricurose é diagnosticada?

O diagnóstico de tricurose envolve a detecção de ovos de parasita nas fezes do paciente por exame microscópico. Às vezes, pode ser necessário um exame repetido, pois os ovos nem sempre estão presentes em grande número nas fezes. Testes adicionais, como exames de sangue e raios-X do trato digestivo, também podem ser realizados.

Como a tricurose é tratada?

O tratamento da tricurose envolve o uso de medicamentos ant i-helmínticos, como albendazol ou mebendazol. A duração do curso do tratamento depende da gravidade da infecção. Na presença de complicações, a intervenção cirúrgica pode ser necessária. Após o tratamento, os testes de acompanhamento devem ser realizados para verificar a eficácia da terapia e descartar a reinfecção.

História de estudo e descoberta

A história do estudo e a descoberta da tricurose começou no século XIX. Em 1834, o médico parasitologista Harless da Alemanha descreveu pela primeira vez o tricocefalus adulto em humanos. Ele nomeou esse parasita tricocefalus Dispar. Logo depois, descobri u-se que várias espécies de tricocefalus poderiam viver em humanos e, em 1878, foram renomeadas Trichuris Trichiura.

Posteriormente, foram realizados estudos sobre a distribuição e epidemiologia da infecção por tricurose. Verifico u-se que Trichuris Trichiura é uma das infecções de helmintos mais comuns do mundo, especialmente em países em desenvolvimento com falta de higiene.

Hoje, a tricurose continua sendo um problema premente de saúde pública, especialmente em regiões com condições socioeconômicas desfavoráveis. Esta doença pode levar a distúrbios significativos da saúde, especialmente em crianças, e requer medidas de prevenção e tratamento.

Tricurose e outras doenças intestinais

Os principais sintomas da tricurose são dor abdominal, diarreia e, às vezes, secreção intestinal com sangue. Os pacientes também apresentam fraqueza, comprometimento do apetite e podem ocorrer flatulência e distensão abdominal. Em alguns casos, a tricurose pode causar anemia devido à perda de sangue.

No entanto, a tricurose não é a única doença intestinal que pode causar sintomas semelhantes. Aqui estão algumas outras doenças comuns:

  • A disenteria é uma doença infecciosa causada por várias cepas de bactérias do gênero Shigella. É caracterizada por diarreia com sangue e muco, dor abdominal e febre.
  • Úlcera gástrica e duodenal – uma doença crônica em que se formam úlceras na membrana mucosa do estômago ou duodeno. Os sintomas podem incluir dor na região epigástrica, azia, náuseas e vômitos.
  • A colite é uma doença inflamatória do revestimento do cólon. Os sintomas podem incluir dor abdominal, diarreia, sangue ou muco nas fezes e sensação de esvaziamento frustrado.
  • Síndrome do Cólon Irritável – Um distúrbio funcional caracterizado por movimentos intestinais anormais e acompanhado de dor abdominal, constipação ou diarréia, distensão abdominal e desconforto.

Para fazer um diagnóstico correto e prescrever o tratamento, é necessário consultar um médico. Ele realizará os exames necessários e determinará a causa exata dos sintomas para escolher o tratamento mais eficaz.